Mitos e verdades sobre o Zika Vírus

O primeiro surto de Zika foi registrado em 2007, na ilha de Yap, na Micronésia, e chegou ao Brasil no ano passado. Por conta disso, muito pouco se sabe a respeito, abrindo margem para que muitas informações sem embasamento científico se espalhem.

As pessoas podem estar com Zika e não sentir nada?

Verdade. É possível ter Zika e ter nenhum ou ter poucos sintomas. Estima-se que de cinco pessoas infectadas por Zika, somente uma apresente sintomas. A pessoa só saberia que teve a doença fazendo um exame de sangue buscando anticorpos contra a doença. 

Repelente é a forma mais eficiente para evitar a contaminação pelo Zika?

Mito. A grande arma contra todas as infecções transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti é acabar com os focos deste mosquito. Repelentes são eficazes, mas dependem de serem usado o tempo todo, em todas as partes expostas, o que na prática é muito difícil. As roupas oferecem boa proteção: mangas compridas, calças compridas, meias e sapatos são maneiras de bloquear a ação dos mosquitos.

Quem pega Zika uma vez corre o risco de se contaminar novamente?

Mito. A infecção por Zika só acontece uma vez.

Mães que estão em fase de amamentação correm o risco de passar a doença para o filho?

Mito. Não se sabe ainda, mas até hoje não há evidência desta maneira de transmissão. Como o leite materno é muito importante para o bebê, hoje não há recomendação de interromper a amamentação durante a infecção por Zika.

O mosquito Zika só pica de dia?

Verdade. A mosquita Aedes Aegypti, que transmite a Zika, pica preferencialmente durante o dia.

O Zika pode ser transmitido pelo sêmen, saliva e sangue?

Verdade. Existem três casos onde a transmissão sexual ficou documentada e, em dois, a pessoa que transmitiu estava doente. Já se detectou vírus no sangue e no sêmen.

As pessoas contaminadas pelo vírus Zika podem sofrer problemas neurológicos?

Mito. Não há evidências hoje de problemas neurológicos junto ou após a infecção pelo vírus Zika. Em casos muito raros, pode haver o desenvolvimento de uma doença neurológica (que também pode ser causada por infecções por outros vírus) chamada Guillain-Barré.

O Vírus Zika também pode causar Guillain- Barré? 

Verdade. A Síndrome de Guillain-Barré é uma reação, muito rara, a agentes infecciosos, como vírus e bactérias, e tem como sintomas a fraqueza muscular e a paralisia dos músculos. Vários vírus, assim como o Zika, podem provocar a síndrome de Guillain-Barré, que é uma doença rara. Assim como todas as possíveis consequências do Zika, a ocorrência da Guillain-Barré relacionada ao vírus continua sendo investigada. Os sintomas começam pelas pernas, podendo, em seguida, irradiar para o tronco, braços e face. A síndrome pode apresentar diferentes graus de agressividade, provocando leve fraqueza muscular em alguns pacientes ou casos de paralisia dos membros. O principal risco provocado por esta síndrome é quando ocorre o acometimento dos músculos respiratórios, devido a dificuldade para respirar. Nesse último caso, a síndrome pode levar à morte, caso não sejam adotadas as medidas de suporte respiratório.

Fonte: http://www.revide.com.br/noticias/descubra-os-mitos-e-verdades-sobre-o-zika-virus/


Facebook

Twitter

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades.

Responsáveis Técnicos:
Dr. Emerson Aparecido Sobrinho - CRBM 5163
Dr. Erika Michele Moral - CRBM 16814

Desenvolvimento e Hospedagem

Laboratorio Biolab © 2019 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento e Hospedagem