Cinco motivos para parar de beber refrigerante

Nove entre dez nutricionistas proíbem o consumo de refrigerantes – mesmo as versões zero, diet e light. Mas quais são as razões que levam os especialistas a riscarem a bebida do cardápio de seus pacientes?

O nutricionista Clayton Camargos, especialista em envelhecimento e pós-graduado pela Escola Nacional de Saúde Pública (Fiocruz), elencou cinco motivos para que as pessoas pensem duas vezes antes de ingerir a bebida.

“Se você não conseguir cessar totalmente a utilização dessas bebidas, o que seria ideal, os estudos sugerem que seu consumo mínimo não deve ultrapassar 300 ml por semana”, afirma o nutricionista.

1 - Acúmulo de gordura

Pesquisadores concluíram que beber refrigerante pode levar à deposição importante de gordura no fígado, também conhecida como esteatose hepática não alcóolica. Consumidores diários de refrigerantes não dietéticos, durante um período de 6 meses, tiveram um aumento de 132% a 142% de gordura hepática, e uma elevação de 30% de triglicerídeos e 11% do colesterol total, em comparação com as pessoas que bebiam outras bebidas, como água ou leite

2 - Barriga grande

Não é de espantar que beber refrigerantes causa ganho de peso, mas o fato surpreendente é que mesmo as versões dietéticas também contribuem para o aumento ponderal: cientistas do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, EUA, monitoraram 475 adultos por 10 anos, e descobriram que aqueles que bebiam 01 refrigerante dietético de 350 ml por dia tiveram um aumento de 70% na circunferência abdominal comparados aos indivíduos que não ingeriram nenhum tipo dessas bebidas. Aqueles que beberam mais de 02 refrigerantes dietéticos (700 ml) por dia tiveram um incremento de 500% do perímetro da cintura. Outra pesquisa, com ratos, sugeriu que o aspartame elevou os níveis de glicose no sangue, repercutindo no aumento de peso. Quando o fígado metaboliza muita glicose, o excesso é convertido em gordura corporal, especialmente do tipo visceral

3 - Risco de câncer

O problema está nos corantes artificiais de caramelo, usados na produção dos refrigerantes do tipo cola. O motivo: dois contaminantes na coloração, 2-metilimidazol e 4-metilimidazol, que causaram câncer nos animais pesquisados. De acordo com a “Proposition 65” da Califórnia, EUA, que trata de uma lista de substâncias químicas produtoras de câncer, apenas 16 microgramas por dia de 4-metilimidazol são suficientes para representar risco dessa doença, e os corantes caramelos presentes nos mais populares refrigerantes colas contém 200 microgramas por unidade comercial de 1 litro

4 - Envelhecimento

Dietéticos ou tradicionais, a maioria dos refrigerantes tem fosfato, ou ácido fosfórico, um ácido fraco que confere sabor e aumenta a vida útil dessas bebidas. O excesso de ácido fosfórico pode levar a problemas cardíacos e renais, redução da massa muscular e osteoporose. Pesquisas sugerem que poderiam desencadear aceleração do envelhecimento celular. Outro estudo, também com ratos de laboratório, evidenciou que os níveis excessivos de fosfato encontrados nos refrigerantes anteciparam a morte desses animais em cinco semanas quando comparados aos consumidores de dietas com níveis normais de fosfato

5- Hormônios desregulados

Não é apenas a composição dos refrigerantes que causa problemas. Quase todas suas embalagens de alumínio são revestidas com uma resina epóxi chamada bisfenol, usada para evitar que os ácidos contidos nos refrigerantes reajam com o metal. O bisfenol é conhecido por interferir na regulação hormonal, sobretudo nos hormônios sexuais, e tem sido associado desde a infertilidade até obesidade e diabetes, além de algumas formas de cânceres do aparelhos reprodutivo

Fonte: https://www.gazetaonline.com.br/bem_estar_e_saude/2017/10/cinco-motivos-para-parar-de-beber-refrigerante-1014104345.html


Facebook

Twitter

Exame Online

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades.

Responsáveis Técnicos:
Dr. Emerson Aparecido Sobrinho - CRBM 5163
Dr. Erika Michele Moral - CRBM 16814

Desenvolvimento e Hospedagem

Laboratorio Biolab © 2018 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento e Hospedagem