Cólicas no bebê: causas e como combater

Para combater as cólicas do bebê que são muito comuns a partir da segunda semana de vida devido à imaturidade do intestino do bebê, pode-se seguir algumas dicas, como:

1 - Massagear a barriguinha do bebê com movimentos circulares;
2 - Aquecer o abdômen com uma bolsa de água quente, tendo cuidado para não deixar muito
quente e provocar queimaduras;
3 - Com o bebê deitado de barriga para cima, empurrar as perninhas em direção ao abdômen,
de forma a comprimir a barriga;
4 - Fazer movimentos de bicicleta com as perninhas do bebê;
5 - Colocar o bebê para arrotar depois de cada mamada.

Estas técnicas podem ser usadas em combinação ou separadamente, até que se encontre a
melhor técnica que funciona para aliviar as cólicas do bebê.


Quando o bebê sente cólicas é normal ele chorar muito. Assim, se ele estiver muito irritado é importante aconselhá-lo primeiro, dando colo e, só depois, fazer as técnicas indicadas para libertar os gases de forma natural.

Se estas técnicas não funcionarem, evite dar remédios sem consultar primeiro o pediatra



Principais causas de cólica no bebê



A principal causa de cólicas nos bebês é o fato de seu aparelho digestivo ainda ser imaturo, o que acontece até aos 6 meses, no entanto, as cólicas também podem surgir devido à:

1. Ingestão de ar

Normalmente, enquanto o bebê mama, especialmente quando não pega corretamente na mama ou mamadeira ou mesmo quando chora muito, aumenta a ingestão de ar, agravando a chance de ter cólicas e, isso ocorre porque o bebê ainda não coordena a respiração com a capacidade de engolir.
Além disso, caso o bebé estiver com o nariz tapado, devido a má pega ou constipação é, natural aumentar a quantidade de ar que ingerir, aumentando o risco de ter cólicas.

2. Intolerância à lactose

A intolerância à lactose é um problema que causa sintomas como diarreia, dor e inchaço na barriga e gases e, geralmente surgem entre 30 minutos a 2 horas depois de ingerir leite. Normalmente, a intolerância à lactose surge em crianças maiores, adolescentes e, principalmente em adultos e, caso a mulher amamente também deverá evitar os alimentos que têm leite.

3. Alergia ao leite de vaca

A alergia à proteína do leite de vaca pode causar cólicas, além de lesões na pele, coceira, vômitos e diarreia, por exemplo e, normalmente, o diagnóstico dos casos de alergia ao leite de vaca ocorre no primeiro ano de vida da criança. Leia também: Como saber se o bebê tem alergia ao leite.
Desta forma, é importante dar à criança fórmulas hipoalergênicas ou não alérgicas, para evitar alergias e, o único tratamento para alergia à proteína do leite de vaca é excluir a ingestão do leite de vaca e seus derivados.

4. Agitação

Os bebês quando expostas a ambientes ruidosos e agitados, podem ficar desconfortáveis e com medo, o que pode causar cólicas.

5. Alimentação da mãe

A alimentação da mãe pode provocar cólicas no bebê e, por isso, é importante estar atenta para tentar identificar os alimentos que provocam gases no bebê. Alguns dos alimentos mais conhecidos por provocar esse tipo de efeitos são:

-Brócolis, couves, couve-flor, couve-de-bruxelas e alguns outros tipos de hortícolas da família das crucíferas;
-Pimentos, pepino e nabo;
-Feijão, grão, favas, lentilhas e ervilhas.

Geralmente, os mesmos alimentos que provocam gases na mãe também são os que provocam no bebê e, por isso, para saber como o bebê está reagindo deve-se estar atento a alguns sinais após a mamada, como barriga inchada, choro, irritação ou dificuldade em dormir. Se estes sinais forem evidentes, a mãe deve reduzir a quantidade e fracionar entre as refeições o consumo destes alimentos, para aliviar as cólicas no bebê.

Porém, se mesmo assim o bebê continuar a apresentar cólicas, pode ser necessário deixar de consumir estes alimentos pelo menos nos primeiros 3 meses de amamentação, para depois voltar a introduzi-los mais tarde em pequenas quantidades, testando a reação do bebê.

Fonte: https://www.tuasaude.com/como-combater-as-colicas-do-bebe/


Facebook

Twitter

Exame Online

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades.

Responsáveis Técnicos:
Dr. Emerson Aparecido Sobrinho - CRBM 5163
Dr. Erika Michele Moral - CRBM 16814

Desenvolvimento e Hospedagem

Laboratorio Biolab © 2018 - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento e Hospedagem